Voto com confiança no professor Aníbal Cavaco Silva!

Neste dia marcado por uma polémica algo vergonhosa por parte dos seus adversários, Fui obrigado a interrogar-me a mim próprio porquê Aníbal Cavaco Silva?

Uma resposta que surgiu tão depressa como a velocidade da luz. Para explicar o meu total apoio ao professor Cavaco Silva, temos recuar na história do nosso Portugal. No tempo glorio do nosso partido, no mandato de Francisco Sá Carneiro, Cavaco Silva assume a pasta das Finanças, naquele Governo de coligação com o CDS-PP (uma coligação designada Aliança Democrática (AD) que muitos consideram o melhor governo que alguma vez a republica portuguesa já viu, após a morte de Sá Caneiro, recusa-se manter-se no governo liderado por Francisco Pinto Balsemão.

Em 1985 como presidente do PSD ganha as eleições legislativa, começando o que considero a década do desenvolvimento de Portugal, Cavaco Silva foi o responsável pelo encurtamento das distâncias entre interior e o litoral, com a construção das mais importantes infra-estruturas nacionais. Também no decorrer do seu período ministrar, assistimos a um período de um grande desenvolvimento económico, com um aumento do rendimentos da população, fruto do grande desenvolvimento industrial do país, nomeadamente a implementação da Auto-Europa em Portugal,

Como Presidente da Republica, Cavaco Silva foi sempre imparcial em termos de ideologias políticas, tomou sempre a decisões mais correctas para o país, nomeadamente na crise do orçamento de Estado 2011, muitas vezes, Cavaco Silva vai mais alem da sua função de presidente, dando concelhos ao governo sobre alguns aspectos da economia portuguesa, oferecendo a sua experiência como professor na área.

Mas acima de tudo, neste momento tão difícil para Portugal, tanto a nível económico, como politico, Cavaco Silva tem sido um pilar para estabilidade política, tentando sempre mater a calma e serenidade das diferentes partes.

Perante estes factos acho que a continuação de Aníbal Cavaco Silva é vital, neste actuo eleitoral muito importante para o país, talvez o mais importante do país. Pois a meu ver, neste momento o país não precisa de radicalismos, sonhadores ou “falas baratos” como outras candidaturas, mas sim alguém com cabeça, que saiba analisar os problemas de forma correcta que saiba lidar com toda a seriedade e com um espírito positivo as grandes barreiras do país.

Por tudo isso, voto com confiança no professor Aníbal Cavaco Silva!

Anúncios

Eu apoio o Professor Aníbal Cavaco Silva

Com a aproximação do período das eleições presidenciais, o soberano povo português é mais uma vez chamado a escolher a figura de proa do panorama político nacional. É dentro do âmbito da escolha responsável que nós encontramos o professor Aníbal Cavaco Silva, personalidade que já esteve e continua a estar presente no mais alto nível das esferas de representação política nacional, sendo detentor de uma sólida e respeitável imagem como estadista.

Um dos focos da sua brilhante carreira política foi o cargo de primeiro-ministro durante 2 mandatos legislativos, chegando em 1987 à primeira maioria absoluta concedida a uma força política não coligada e conseguindo a entrada na CEE, o que levou Portugal a um dos maiores períodos de crescimento económico e desenvolvimento social nas últimas décadas.

Actualmente podemos referir o importante desempenho como Presidente da Republica, cargo que desempenha de forma honrada, o que leva a minha pessoa e muitos portugueses a mais uma vez depositarmos nele a nossa total confiança, apesar da forte mas estapafúrdia tentativa de descredibilização da sua imagem.

O professor Aníbal Cavaco Silva simboliza a seriedade e o dever patriótico que já à muito foram esquecidos por parte de alguns políticos que nos dias de hoje se encontram à frente dos destinos do país mas que elevam os seus interesses pessoais e partidários acima de qualquer interesse nacional.

A presente conjuntura político-económica e social necessita de um Presidente da República que seja uma pessoa íntegra, que tenha passado profissional e experiência governativa para defender uma visão pragmática sem entrar em lirismos demagógicos ultrapassados, o  que lhe permite manter a capacidade de fazer a diferença, tal como demonstrado no passado mandato.

É por tudo isto e muito mais que no dia 23 de Janeiro eu voto Aníbal Cavaco Silva.

 

José Monteiro

Intervenção do Governo no BPN custa 498€ a cada Português

Segundo as últimas notícias o Governo irá injectar mais 500 milhões de euros no BPN, através de um aumento de capital do banco intervencionado pelo Estado. A Caixa Geral de Depósitos terá concedido já, a este banco, empréstimos que ascendem aos 4,8 mil milhões de euros. São, portanto, 5.300 milhões de euros públicos

injectados pelo Governo no BPN. Cada Português contribuiu para esta intervenção do Estado, num banco representativo de 2% do sistema financeiro nacional, com 498 euros.

Nova Campanha de Marketing – Flyer

A secção I da JSD de Lisboa inicia esta segunda-feira uma campanha de Marketing e aproveita para divulgar no blogue da secção o flyer que será utilizado nesta primeira fase. Pretendemos elaborar uma campanha que sirva para divulgar o nome e os valores da JSD.

Nova Campanha de Marketing

A Secção I da JSD de Lisboa vai iniciar esta 2ª Feira uma campanha de marketing na sua área de Jurisdição. Esta campanha contará com a produção e divulgação de flyeres, que serão divulgados tanto a nível digital como em formato papel, terá conferências e algumas acções de rua. Esta iniciativa visa chamar atenção para a importância da JSD na representação da Juventude, sensibilizar a população para os erros do Partido Socialista, quer na governação do país quer ao nível camarário.

Pretendemos demonstrar ao público em geral a nossa (o)posição face às actuais políticas protagonizadas pelos Socialistas. Iniciaremos o debate com um apelo à Juventude da Secção para aderirem à JSD, seguida de uma crítica à política de mobilidade existente em Lisboa, entre muitos mais…

Não percas a oportunidade de colaborar na mudança que o teu país e a tua cidade precisam, a JSD não deixa Lisboa ao abandono e muito menos a Juventude lisboeta. Vem fazer política pela positiva, todos juntos tornamos a mudança uma coisa possível.

 Qualquer dúvida contacta o Secretário – Geral da JSD da Secção I o Carlos Martins.

Contactos:

Mail: Carlosguilherme1987@gmail.com

Tlm: 963747378

Habitação Jovem em Lisboa

Actualmente, quando converso com varias pessoas sobre Lisboa sou sempre abordado com a questão das zonas históricas da cidade de Lisboa, estarem cada vez mais despovoadas, sem Juventude e sem vida…

Tanto os fregueses, como os autarcas e a população que por aqui passa, encontram um conjunto de razões para que este fenómeno aconteça, contudo é a degradação do edificado e a especulação imobiliária que é comum a todos.

Mas, a estes factores deve-se acrescentar aquele que tem a maior preponderância o Plano Director Municipal, PDM. Pois acredito que a culpa desta situação surge em primeiro lugar pelo facto de nós não planificarmos antes de agir, fazendo com que tudo seja feito em “cima do joelho”, um dos factos que pode sustentar isto mesmo encontra-se plasmado no imbróglio que é o actual PDM aprovado na governação do Dr. Jorge Sampaio, (até hoje em vigor sem nunca ter sido reformulado) que fez com que até hoje estes mesmos locais ficassem nas mãos ou de “oportunistas de esquina” que faziam (em) os seus esquemas sem lei nem ordem ou ao abandono total do edificado trazendo assim a degradação massiva do nosso património arquitectónico.

Nestas duas últimas décadas (sensivelmente) não foram feitos regulamentos que limitassem/punissem quem pusesse em causa a nossa cidade. Contudo sempre que muda o executivo camarário deparamo-nos com novas formas de pensar a cidade com o intuito de criar alternativas para que a mesma possa fluir melhor e assim haja (na teoria) um incremento na qualidade de vida dos seus concidadãos.

Mas, esbarramo-nos no mesmo problema, a falta de planificação. Tendo como exemplo o actual plano de salvaguarda da baixa pombalina, antes chamado de plano pormenor da baixa pombalina (mudou de nome pois o plano pormenor foi elaborado em 2005 na sua génese pela Dra. Maria José Nogueira Pinto, na governação do Dr. Santana Lopes após quase 15 anos de inexistência de qualquer plano), este mesmo plano apesar de ser uma autêntica revolução na actual realidade da baixa, continua sem consagrar a população jovem. Visto que não é colocada a hipótese de podermos inverter o actual ciclo de decréscimo da população de Lisboa, fazendo com que não haja incentivo à existência de população jovem no coração da cidade.

Na minha opinião, devem de ser dados incentivos claros na reestruturação do edificado em elevado estado de degradação (e devolutos) que são propriedade da CML (numa primeira instância), através por exemplo de incentivos às PME ligadas a este ramo, sedeadas na cidade de Lisboa, como também permitir que privados, juntas, associações (entre outras entidades) possam implementar os seus projectos de implementação social nesses mesmos locais.

Aliado a isso, se existisse uma seria política de arrendamento jovem que potenciasse a habitação a preços controlados, tanto a jovens universitários, dando assim condignidade aos mesmos para que se possam licenciar, ao invés de muitas vezes terem que sobreviver em quartos pagos a “peso de oiro”; como também a jovens que se encontram agora a ingressar na vida activa, para que os mesmos encontrem na sua cidade uma ajuda no inicio da sua vida profissional.

Para que uma câmara possa operar activamente na sua comunidade, tem que primar por valores que consubstanciem a actividade económica da nossa cidade, a capital do país.

 

Nuno Firmo

Hoje e amanha a Secção I está em festa!!!

Caros(as) Companheiros (as) a Secção I quer comemorar o final das aulas com uma festa que vai decorrer hoje e amanha no Império do Álcool. Se és militante da Secção I não percas a oportunidade de aproveitares esta festa de bar aberto!!!